Te esperamos na 97a. Assembleia da CBB!

cbb_amazonia_2017Falar sobre a cidade de Belém que receberá os Batistas Brasileiros em 2017 para a 97ª Assembleia Geral da CBB é tão prazeroso quanto tomar um delicioso açaí com farinha de tapioca ou com peixe frito!

Quer conhecer uma terra com uma forte personalidade? Venha conhecer Belém do Pará, e se surpreendendo com seus atrativos. Entre rios e trechos amazônicos, esta é uma viagem de descobertas, desde os novos sabores aos ritmos que não tocam nas rádios. Reunindo antigos traços coloniais e outros tão modernos, Belém é uma cidade fácil de se apaixonar. A Unesco colocou a cidade de Belém entre as 47 cidades criativas do mundo. Banhada pela Baía do Guajará, conhecida como a “porta de entrada para a Amazônia”, Belém foi fundada em 12 de janeiro de 1616. O marco da sua fundação é o Forte do Presépio, recentemente restaurado e ponto obrigatório para os turistas.cbb_hnagar_2017

O calor, aparentemente incômodo, perde a sua força com a quantidade de mangueiras e outras árvores frutíferas espalhadas pela cidade. A comida é saborosa e em qualquer lugar da cidade que você vá, tem uma barraquinha com algo pra comer típico da região, pouco vistos em outras regiões do Brasil. E, como você poderá conferir, a cidade tem muito para lhe oferecer!

Vamos listar alguns motivos que farão você se apaixonar por Belém em 2017:

  1. Gastronomia

Açaí, Tacacá e muito verde você só vai encontrar no Pará! Belém é uma metrópole que exala aroma de frutas e árvores, encontradas facilmente em toda a cidade. Linda de um jeito só, todo mundo que chega por lá se encanta e sempre vai querer voltar. A gastronomia
 paraense é diferente de tudo e tem sabores fortes, exóticos para o paladar de quem não é de lá. Um exemplo disso é o nosso açaí, ele não é igual ao dos outros Estados; é bem mais encorpado, puro e sem açúcar. Vale a pena provar ainda maniçoba, caruru e o Tacacá. Um suco de taperebá, cupuaçu ou muruci caem bem com essas delícias, mas guarde espaço para os sorvetes.

Aos Batistas Brasileiros dos outros Estados que virão para a Assembleia da CBB irão se banner_belem_2017cbbdeliciar com as iguarias típicas encontradas somente em nossa cidade.

  1. As ilhas

Belém é composta por 39 ilhas, que representam 65% do território da capital paraense. Num passeio de cerca de 40 minutos de barco é possível conhecer, por exemplo, a Ilha de Cotijuba. Banhada pela baía do Marajó, tem uma simplicidade deliciosa para quem quer se livrar da vida urbana, com a vantagem de ter praias tranquilas e de água doce, já que são fluviais. No Verão, é um dos destinos mais procurados pelos moradores da região metropolitana de Belém que querem fugir do calor. A ilha de Mosqueiro é o point para uma deliciosa parada para tomar um bom banho de água doce, localizada a 72 Km da capital, que mais parece uma praia de água salgada pelas ondas que são feitas.

  1. Pontos turísticos de Belém

cbb_marajo_2017São vários e extraordinários os pontos turísticos de Belém que impressionam por sua arquitetura e particularidades, passando por grandes construções a ambientes exóticos. Podemos destacar:

a. A feira do Ver-o-peso

Suas origens remontam ao século 17, quando nasceu como mercado dos caboclos. O complexo do Ver-o-Peso – que compreende o mercado de peixe, a doca, a feira do açaí, a Praça do Pescador, o mercado de ferro, a Praça do Relógio, a Ladeira do Castelo e o Solar da Beira – funciona todos os dias, dia e noite.

b. Centro histórico

Este é um dos maiores legados de Belém. Um passeio pela Cidade Velha nos leva de volta aos séculos 17, 18 e 19 pelas edificações que se encontram. Às margens do rio Guamá se concentram boa parte dos prédios coloniais, onde predominam azulejos portugueses, coloridas portas, arcos, além de detalhes barrocos e neoclássicos. Está concentração arquitetônica permitiu a criação do chamado Complexo Feliz Lusitânia, que abriga vários pontos turisiticos, como Forte do Presépio, o complexo de Santo Alexandre, a Catedral da cbb_mosqueiro_2017Sé, a Casa das Onze Janelas, a igreja de São João e o Palácio Episcopal, onde funciona o Museu de Arte Sacra do Pará. A área serve como espaço cultural e de lazer, e seus prédios históricos foram restaurados.

c. Praças

Belém é rica em espaços de lazer publico como as praças, dentre algumas destacamos a Praça da República e a Praça Batista Campos. Aos domingos, as praças ficam lotada de famílias, cachorros, crianças com bicicletas e turistas. São as mais importantes de Belém. Não raro acontecem apresentações de música e dança em algum canto.

  1. A paisagem

Um dos grandes recursos de Belém são certamente os naturais. Nisso entram as paisagens que encontramos na capital paraense, como o visual para o rio Guamá; o Mangal das Garças, o Parque da Residência; o verde que cerca o Parque Zoobotânico Museu Paraense Emílio Goeldi com sua variedade representada da  fauna e flora amazônica; a Estação das Docas – lugar ideal para relaxar com conforto e curtir um lindo pôr-do-sol a beira do Baía do Guajará.

  1. A cultura

A cultura diversificada do Pará deixa um legado importante no Brasil. Independente dos cbb_alter-do-chao_2017gostos pessoais de cada um, temos que reconhecer o lado criativo pulsante dos paraenses, seja nas artes, na música, no cinema e até no modo de vida. As danças típicas como o carimbó e o lundu, o folclore com raízes amazônicas, o tecnobrega, o artesanato indígena e tantas outras coisas que marcam a região mostram o quanto temos a aprender e conhecer dentro do país.

6. Como chegar

  •  De carro

Belém não está situada exatamente na costa brasileira, isto é, não está inserida dentro das radiais BR-116 ou BR-101, artérias que ligam a maioria das capitais banhadas pelas águas do Atlântico. A capital paraense, no entanto, é ponto de partida de duas importantes rodovias federais: a BR-316 e a BR-010, que conectam uma parte da região Norte ao resto do país. A primeira começa em Belém e termina em Maceió, capital de Alagoas, passando pelo Maranhão e por todo o sertão nordestino. A segunda, conhecida como rodovia Brasília-Belém, sai da capital do Brasil até Belém, ligando o centro do país à região Norte. Para quem curte dirigir nas estradas e apreciar as paisagem pode vim de carro, é uma boa opção e bem econômica, caso contrário pode chegar até ela por avião ou barco também.

  •  Avião

O aeroporto da capital de Belém possui toda uma arquitetura pensada para aproveitar a luzbanner_bosque_2017cbb natural. Chega a receber 2,7 milhões de passageiros por ano. No entanto, fica mais ou menos a 12 km tanto do Mercado Ver-o-Peso, no Centro Histórico, como a 11 km da Basílica de Nazaré, bairro nobre homônimo em Belém. Dessa forma, para chegar até a cidade propriamente dita, o turista pode fazer uso de ônibus ou táxi.

Há diversas linhas de ônibus que passam pelo aeroporto. Caso o viajante prefira sair do aeroporto de táxi, ele pode solicitar um rádio-táxi ou pegar táxis credenciados pela Infraero. Há vans como transporte nos arredores do aeroporto, mas não são aconselháveis, já que o serviço não é regulamentado pelo poder público.

  1. A rede hoteleira de Belém

A rede hoteleira de Belém está em franco crescimento. De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Pará tem 673 estabelecimentos de hospedagem – são hotéis, pousadas, albergues, resorts, spas, pensões e motéis que empregam formalmente 8 mil pessoas. O setor de alimentação fora do lar reúne 1.550 bares, restaurantes e similares, onde trabalham 15 mil pessoas com carteira assinada. Os dois setores têm grande potencial de atender os turistas mais exigentes.

 

Views All Time
Views All Time
1309
Views Today
Views Today
1

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *